Foi dada a largada para apurar fraudes no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF, identificando do cidadão e aprimorando a gestão tributária que se utilizam desse cadastro, como o Auxílio Emergencial, por exemplo.

Com esse propósito, a Coordenação-Geral de Gestão de Cadastros e Benefícios Fiscais – Cocad está realizando uma apuração em sua base de dados para suspender CPFs cujos titulares tenham indício de óbito. Essa operação será faseada em lotes mensais, que totalizam 1 milhão sete mil novecentos e sessenta e cinco CPFs; sendo que, no primeiro lote, serão suspensos 100 mil.

Com esse ato, a Receita Federal tem por meta coibir que CPFs de pessoa falecida possam ser usados por terceiros para cometer fraudes e crimes tributários.

Para regularizar a situação do CPF, basta entrar em contato no site receita.fazenda.gov.br.

Fonte/Autor: Da Redação do Portal Dedução